Empresas deverão todas emitir NF-e, modelo 55, a partir de 01/10/2018. 

Demorou um pouco, mas agora é definitivo. As empresas optantes pelo Simples Nacional não poderão mais emitir nota fiscal de papel/talonário, mesmo aquelas que só fazem vendas internas (dentro do Estado de São Paulo).

Essa mudança exige que empresas que ainda se valiam da nota fiscal em papel, isto por não venderem mercadorias fora do estado e estivessem desobrigadas, tenham agora que abandonar esse formato e, enfim, adotar sistemas emissores informatizados, baseados na geração de arquivos XML à Sefaz e mediados pelo Certificado Digital. De acordo com análise do SEBRAE¹, além de migrar para NF-e,

[…] as empresas deverão inutilizar os formulários fiscais de papel, mod. 1 ou 1-A, não utilizados, ficando dispensadas de protocolar no Posto Fiscal da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo a declaração de inutilização, conforme dispõe a Portaria CAT 81, de 20-09-2018, que revogou os incisos II e III, e os parágrafos 1º e 2º do art. 8º da Portaria CAT 162/2008.

No entanto ainda permanece uma exceção à obrigatoriedade geral. Os MEIs – Microempreendedores Individuais – continuam podendo utilizar nota fiscal de papel, modelo 1 ou 1-A.

Apesar de estarem dispensados, os MEIs, podem se credenciar voluntariamente e aderir à emissão de NF-e, Mod. 55, o que muitos empresários consideram vantajoso pois, além da praticidade, é mais rápido para o destinatário receber a NF-e, enviando por e-mail antes da mercadoria agilizando o recebimento.
___________________________________
(1) Fonte: http://www.sebrae.com.br.

Conheça também:Banner NuvemERP